Breves. 03 MAR 2021

Caso de EHV confirmado em Portugal

O Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INAV) confirmou o caso na região de Leiria.


Tempo de Leitura: 4 Min

cavalo

O surto de EHV-1 (Equines Herpes Virus), ou rinopneumonia equina, em Espanha é o assunto do momento no meio equestre e já levou a Federação Equestre Internacional a tomar duras medidas, nomeadamente o cancelamento de vários eventos hípicos no continente europeu para evitar a transmissão da doença.

Entretanto, esta quarta-feira, 3 de Março, a Direcção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) teve conhecimento de um caso positivo em Portugal na região de Leiria. A situação foi confirmada pelo Laboratório Nacional de Referência, Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INAV), decorrendo neste momento as diligências necessárias à devida avaliação epidemiológica, pela DGAV.

No documento a que a redacção da EQUITAÇÃO teve acesso, a DGAV explica que "a rinopneumonia equina é uma doença clínica dos equinos, altamente contagiosa, resultante da infecção por herpes vírus - 1 ( EHV-1) e herpes vírus - 4 (EHV-4), que afectam o aparelho respiratório superior e cuja gravidade depende da idade e do estado imunitário dos animais infectados. A infecção por herpes vírus - 1 ( EHV-1) pode causar complicações de maior gravidade tais como aborto, morte de potros recém-nascidos e alterações do sistema nervoso, podendo causar mieloencefalites. Tal como outras herpesviroses, a infecção pode manter-se latente durante largos períodos de tempo, sendo reativada em situações de stress ou gestação. Podem também existir reinfecções múltiplas ao longo da vida dos animais, muitas vezes subclínicas. A taxa de mortalidade não é significativa e os animais afectados recuperam frequentemente. A doença não representa qualquer risco de saúde para os humanos".

A entidade explica ainda que "a vacinação dos equinos é recomendada mas não garante total protecção contra a rinopneumonia equina, podendo no entanto reduzir o impacto da doença".

Não existe qualquer impedimento, do ponto de vista sanitário, para a utilização de vacinação em território nacional contra a rinopneumonia equina, no entanto não há nenhuma vacina autorizada para esta doença em Portugal, pelo que aplicar-se-iam as normas para os casos em que os medicamentos veterinários não estão registados em Portugal e não exista alternativa terapêutica: pode ser concedida uma autorização de utilização especial (AUE) pelo Director-Geral de Alimentação e Veterinária.

Devido à alteração do risco epidemiológico da Doença causada pelo Herpesvírus Equino, a DGAV decidiu retirar da lista positiva de medicamentos veterinários passíveis de ser autorizados por Autorização de Utilização Especial Anual. Desta forma, todas as AUE anuais emitidas desde 1 de Março de 2020 estão caducadas. Assim, todos os pedidos deverão ser submetidos como Autorização de Utilização Especial normal. A DGAV reforçou a equipa para a emissão destas AUE, está em articulação com o Distribuidor em causa; prevendo o cumprimento da emissão da AUE dentro dos prazos estabelecidos por lei.

Notícias relacionadas:

- Sunshine Tour termina este domingo

- Surto de Herpes Equino obriga FEI a cancelar eventos

Autor:

Cátia Mogo

catiamogo@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE A CATEGORIA

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades