Saltos. 12 FEV 2021

"É o paraíso dos cavalos e do surf"

Luís Sabino contou à EQUITAÇÃO a experiência que está a viver nos EUA, na companhia de Bruno Diniz das Neves.


Tempo de Leitura: 3 Min

Sabino e camino EUA

O cavaleiro português voou com três cavalos para o outro lado do oceano, onde está a passar a temporada de defeso, na companhia de Bruno Diniz das Neves, radicado em San Diego, na California.

Luís Sabino Gonçalves já fez dois fins-de-semana de concursos no CSI Desert International Horse Park Circuit e afirma que "está a correr lindamente! No primeiro fim-de-semana os cavalos fizeram alguns resultados, embora estivessem um pouco enferrujados, mas no segundo fim-de-semana andaram um espectáculo", referindo-se ao 2.º e ao 3.º lugar conquistados com Argan de Beliard (1,50 m) e Camino Império Egípcio (1,45 m), respectivamente.

Questionado sobre o local da competição, Luís Sabino descreve o espaço "como um local muito bonito. Tem seis pistas de competição, com seis paddocks grandes, tem sete pistas para «hunters» e «equitation», os pisos são óptimos e está tudo muito bem arranjado, numa paisagem natural com muitas palmeiras. Estamos no meio do deserto, envolvidos por montanhas, é muito bonito!".

Para já, Sabino está a fazer uma pausa neste fim-de-semana e no próximo "para os cavalos arejarem e estarem motivados para os fins-de-semana seguintes". Instalado em Delmar, San Diego, no Rancho Santa Fe, com Bruno Diniz das Neves, que lhe "tem mostrado tudo! Os americanos são muito simpáticos e esta zona é o paraíso dos cavalos do surf, quase como Cascais e Estoril. Tem gente bonita, casas bonitas, carros bons, estou a adorar!".

Uma vez que, devido aos constrangimentos provocados pela pandemia, não conseguiu viajar com o tratador, Luís assume ele próprio o cuidado dos cavalos, com pouca ajuda externa. Durante esta «pausa» acaba por não se afastar muito das suas montadas, mas tentará, claro, "fazer um bocadinho de turismo, almoçar em San Diego e conhecer a região". O foco, no entanto, será sempre o objectivo principal da viagem, estabelecer pontos de contacto no mercado norte-americano: "Sábado e domingo vou ao concurso trabalhar para o comércio e fico lá a dormir, pois é a duas horas e meia daqui. Estou empenhado em conhecer as pessoas, ir a outros estábulos, visitar as instalações, estar com possíveis clientes para trabalhar", disse à EQUITAÇÃO.

Na agenda, o cavaleiro tem previsto fazer mais dois CSI3, seguidos de uma semana de pausa, a anteceder um CSI4 para fechar a temporada na América do Norte.

Já Bruno Diniz das Neves entra, para já, nos concursos nacionais, tendo previsto participar, mais à frente, nos internacionais com a sua égua Adele XIII.

 

Autor:

Cátia Mogo

catiamogo@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE A CATEGORIA

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades