Eventos. 20 FEV 2020

FEI confirma quotas para os JO após irregularidades em eventos

A Federação Equestre Internacional (FEI) confirmou as quotas para os Jogos Olímpicos (JO) de Tóquio 2020, em três disciplinas equestres, após investigações sobre irregularidades em eventos na França e na Síria, bem como violações de antidopagem por dois atletas do Catar.


Tempo de Leitura: 5 Min

tokio2020

Dois membros da equipa do Catar, Sheikh Ali Al Thani e Bassem Mohammed, acusaram positivo para o carboxi-THC, um metabólito da cannabis, que é uma substância proibida pelas Regras Antidopagem da FEI para Atletas Humanos.

Uma vez que a dupla falhou nos testes, num evento de qualificação do Grupo F, que se realizou na capital de Marrocos, em Rabat, em Outubro, a equipa do Catar perdeu a quota da África e do Médio Oriente que parecia já estar garantida.

Posteriormente, o Tribunal da FEI emitiu uma decisão parcial sobre a desqualificação dos resultados individuais dos dois atletas do Catar no passado dia 15 de Fevereiro. Como resultado, o Catar perdeu a sua quota de equipas para Tóquio e Marrocos acabou por preencher a vaga.

A FEI também concluiu investigações sobre eventos em Villeneuve-Loubet, em França, e em Damasco, na Síria.

A investigação sobre os três eventos em território francês, em Dezembro de 2019, estabeleceu que, ao contrário do Regulamento da FEI (artigo 110.2.3 do Regulamento Geral da FEI), duas competições contando para o Ranking Olímpico e Longines foram adicionadas em cada evento após os respectivos prazos de inscrições definidas de cada um. Os horários actualizados para esses três eventos foram submetidos à FEI pela Federação Nacional Francesa e foram falsamente aprovados pelo órgão equestre internacional.

Como resultado, a FEI removeu estas competições adicionais, o que significa que os atletas que participaram perderam os seus pontos de classificação nas mesmas. Os rankings Olímpico e Longines já foram actualizados de acordo.

Além disso, a FEI estabeleceu que três dos seis eventos em Villeneuve-Loubet, em Janeiro de 2020, também tiveram duas provas qualificativas para o Ranking Longines adicionados após o prazo das entradas definidas, indo novamente contra as regras da FEI. Também neste caso o resultado foi semelhante ao anterior, as competições adicionais foram removidas e os atletas que participaram perderam os pontos que supostamente adquiriram.

Em análise também estiveram os eventos de Damasco, ocorridos entre Outubro e Dezembro de 2019, e embora tenha sido claramente estabelecido que não houve violação das Regras e Regulamentos da FEI em relação às entradas no Calendário da FEI, aos Cronogramas de eventos ou ao número de eventos realizados, a investigação revelou uma irregularidade com o prize money em três dos eventos, uma vez que os prémios excederam o limite para um CSI2* e os cronogramas dos eventos foram aprovados erradamente pela FEI.

A FEI removeu então uma competição de cada um desses eventos para trazer o prémio total em dinheiro dentro do limite especificado, mas isto não teve impacto no Ranking Olímpico do Grupo F.

Confirmados

Depois das investigações concluídas, a FEI confirmou as quotas para as competições individuais e de equipa, nas três disciplinas de Dressage, CCE e Saltos de Obstáculos, para os JO de Tóquio 2020.

As três nações qualificadas para os JO pela primeira vez são: Luxemburgo (Individual de Dressage); Paquistão (Individual de CCE); e Israel (Equipa de Saltos).

Os novos formatos abriram as portas para mais nações estarem presentes e os números falam por si. Na última edição dos JO, no Rio de Janeiro, na disciplina de Saltos participaram 27 nações e agora serão 35. A Dressage aumentou de 25 para 30 e CCE subiu de 24 para 30. No total, o número de bandeiras passou de 43 no Rio para 48 em Tóquio.

A Letónia regressa aos JO após 32 anos, depois de conquistar uma quota individual nos Saltos. A última vez que participou foi em Seul em 1988. Assim como a República Checa e o Hong Kong que retornam ao evento, com as suas últimas participações em Pequim em 2008.

O prazo para atingir os Requisitos Mínimos de Elegibilidade (MERs) está marcado para o dia 1 de Junho, após o qual a FEI confirmará a aprovação dos Certificados de Capacidade, para as Federações Nacionais. Os conjuntos finais, para as três disciplinas, serão anunciadas a 6 de Julho.

Os eventos equestres olímpicos começam no dia seguinte à cerimónia de abertura em Tóquio, no dia 24 de julho. Dressage será a primeira disciplina a realizar as suas competições (25 a 29 de Julho), seguida por CCE (31 de Julho a 3 de Agosto) e, finalmente, Saltos (4 a 8 de Agosto).

As competições serão realizadas no Parque Equestre Baji koen e no local de cruzeiros Sea Forest Cross-Country Course.

Autor:

Ana Rita Moura

anaritamoura@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE A CATEGORIA

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades