Dicas. 12 NOV 2020

A Passage

Nesta edição abordamos a Passage, um exercício que exige um elevado grau de concentração. Saiba como pode melhorá-la, impressionando os juízes e, consequentemente, aumentando a sua nota em prova.


Tempo de Leitura: 5 min

Crédito FEI Lukasz Kowalsk

Fotos: FEI/Lukasz Kowalsk

A definição

A Passage é um trote muito concentrado, cadenciado, com elevado tempo de suspensão e muito harmonioso. É também caracterizado por um abaixamento das ancas, uma pronunciada flexão dos membros posteriores, uma elevada elasticidade e elegância. Cada diagonal (mão esquerda - pé direito e vice-versa) eleva-se e apoia-se alternadamente, num ritmo bem marcado, impulsionado e elástico. Preferencialmente, a pinça do casco do membro anterior em suspensão eleva-se até ao meio da canela do membro anterior em apoio, enquanto que a pinça do membro posterior em suspensão eleva-se ligeiramente acima do boleto do membro posterior em apoio. O pescoço do cavalo eleva-se de forma arredondada e elegante, culminando com a nuca no ponto mais alto mantendo o chanfro na vertical. O contacto com a mão do cavaleiro mantém-se suave e elástico, transmitindo uma imagem de equilíbrio, leveza e ligeireza (movimento elegante e gracioso).

O objectivo

A Passage visa demonstrar o mais elevadograu de concentração (a capacidade do cavalo baixar as ancas, avançando os posteriores para baixo da sua massa corporal, fazendo com que o seu centro de gravidade passe a estar mais atrás), cadência (o acentuar do ritmo resultante de um “tempo” estável, adequado e harmonizado com uma enérgica impulsão) e suspensão (tempo que o cavalo permanece no ar) do trote.

Como obter uma nota elevada

Para além do cumprimento dos requisitos que fazem parte da definição da Passage, é fundamental que o exercício seja iniciado e terminado nas respectivas letras, seguindo de forma precisa as linhas definidas na prova, transmitindo a sensação do exercício estar a ser executado pelo cavalo “de modo próprio e gracioso”.

Dicas

  1. Precisão - Não iniciar transições nas letras respectivas ou afastar-se das linhas prescritas levam à perda (desnecessária) de pontos.
  1. Encurvação - Nas provas a Passage é executada em linhas rectas, cantos e mudanças de direcção, assim é importante assegurar que na passagem dos cantos e mudanças de direcção o cavalo tem a correcta encurvação. Por vezes verificamos que na passagem dos cantos ou mudanças de direcção os cavaleiros optam por colocar o cavalo na contra-flexão (flexão ao lado de fora), por vezes na tentativa de manter a regularidade, mas isto implica a perda (desnecessária) de pontos.
  1. Cadência - A cadência, enquanto acentuação ou expressão máxima do ritmo, é fundamental para atingir o objectivo visado por este exercício. Como já referido, o cavalo deve dar a sensação de executar a Passage de modo próprio (natural) e gracioso, pelo que o exagero de energia resulta geralmente num género de mecanização/artificialismo do movimento não compatível com a definição do Regulamento de Dressage da FEI.

Por vezes temos a sensação que alguns cavaleiros procuram o máximo de elevação possível dos membros do cavalo, imputando-lhes excessiva “energia”. A elevação dos membros está interligada à conformação e à mecânica própria de cada cavalo e não é este o critério que define a qualidade da passage. De facto, o critério que mais nos ajuda a definir a qualidade da passage é o tempo de  suspensão, pois quanto maior for o tempo que o cavalo permanece no ar (em suspenso) entre cada diagonal mais qualidade terá a passage, pelo que é fundamental encontrar a cadência adequada “temperada” com ligeireza e naturalidade (sem esforço).

Artigo publicado in Revista Equitação n.º 141 , Janeiro/Fevereiro de 2020

 

Veja também:

Como entrar em pista e causar boa impressão

O trote médio/largo

A espádua a dentro

O ladear

O recuar

Autor:

Frederico Pinteus

equitacao@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO?

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades