Criação. 29 JUL 2020

"O PSL tem potencial para ser ainda melhor mantendo a sua diversidade"

Confira o depoimento de Paulo Caetano, Cavaleiro Profissional com 40 anos de carreira e Treinador de Dressage nas mais importantes competições do Mundo, no âmbito do desafio lançado por Bruno Caseirão com o tema "Cavalo Lusitano: o que preservar, modificar e inovar?"


Tempo de Leitura: 4 Min

paulo caetano

"A respeito da selecção do Cavalo e em particular do Lusitano, o criador segue, na maioria dos casos, dois vestores de orientação:

Em primeiro lugar, o seu gosto pessoal.

Em segundo lugar, a exigência dos cavaleiros que. por sua vez, têm a percepção mais nítida da evolução das actividades ou desportos que praticam e dos objectivos a que se propõem alcançar.

Como muito bem foi exposto no artigo em que se insere esta minha opinião, a qualidade do nosso cavalo deve-se às suas ancestrais características como cavalo de sela e à selecção funcional induzida pela Equitação Clássica e Tauromáquica praticada em Portugal ao longo de séculos.

Nas últimas duas décadas, o seu reconhecimento Internacional como Cavalo de Dressage é fruto, essencialmente, dos expressivos resultados obtidos nas mais importantes pistas do Mundo.

Esta Disciplina, tem tido um notável avanço devido ao empenhamento de todos os profissionais que a integram: criadores de cavalos, cavaleiros, juízes, treinadores, veterinários, tratadores, ferradores, profissionais de todas as áreas de saúde e bem estar do cavalo, seguindo a estrita aplicação da Escala de Treino como único caminho para um desenvolvimento correcto das capacidades do cavalo e, em consequência, para que uma simbiose cada vez mais perfeita entre técnica e sensibilidade, entre mecânica e expressividade, entre ginástica e arte, seja atingida.

Esta fase de ouro da Disciplina, em que o Lusitano surge como uma opção de elevada qualidade, ao entrar num mercado altamente concorrencial, obriga os responsáveis pela selecção a analisar com humildade e sabedoria os pontos que deverão ser aperfeiçoados, de modo a que «paradas» cada vez mais altas possam ser alcançadas.

O imenso transtorno no âmbito desportivo, como em tantos outros campos, causado pela pandemia, que esperemos se confine a 2020, não deverá ter, a meu ver, um choque tão violento na selecção da raça. A criação de cavalos tal como o seu ensino e treino são actividades que obedecem a estratégias de longo prazo.

Não me parece que este postpone, altere significativamente os projectos de quem está a seleccionar a sua coudelaria ou a ensinar os seus cavalos.

Acredito que o Cavalo Lusitano deverá continuar a ser versátil pois tem potencial para ser ainda melhor mantendo a sua diversidade.

Vejo cavalos lusitanos cada vez mais fortes e elásticos dentro do tipo, com maior estabilidade psicológica apesar de continuarem finos, com melhor qualidade dos três andamentos sem perderem a capacidade de reunião. A evolução do nosso cavalo não deverá estar sujeita à sua especialização funcional mas sim à compreensão de todos os detalhes morfológicos, mecânicos e psicológicos que, seguindo a sensibilidade, a inteligência, a ambição de quem os cria e de quem os monta, possa honrá-lo como um dos melhores cavalos de sela do Mundo."

QUER SABER MAIS SOBRE A CATEGORIA

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades