Criação. 23 JUL 2020

Melhorar a funcionalidade não terá de desvirtuar o cavalo lusitano

Confira o depoimento de Cláudia Matos, Juíza Internacional de Ensino e de Equitação de Trabalho, no âmbito do desafio lançado por Bruno Caseirão com o tema "Cavalo Lusitano: o que preservar, modificar e inovar?"


Tempo de Leitura: 3 Min

claudia matos

"A frase inicial utilizada pelo autor do artigo e amigo Bruno Caseirão «O Cavalo Puro Sangue Lusitano é um dos melhores embaixadores de Portugal» não pode ser mais verdadeira. Aliás, atrevo-me a afirmar que o Cavalo Puro Sangue Lusitano é um produto de excelência português, a par de outros que nos colocam no mapa mundial. Através do Cavalo Puro Sangue Lusitano tem sido possível mostrar a nossa cultura e a qualidade da nossa equitação e, além disso, tem sido possível desenvolver a economia ligada ao Cavalo Puro Sangue Lusitano, nomeadamente no domínio das exportações. E diria que, a reflexão ora lançada se impõe a todos nós, porquanto o nosso produto de excelência está na moda e é muito procurado.

Do ponto de vista de juiz, não posso deixar de sublinhar que tem sido o desporto que indubitavelmente tem possibilitado colocar o Cavalo Puro Sangue Lusitano na ribalta, o que equivale a dizer que tem sido a melhoria na funcionalidade do cavalo que tem contribuído para isso. E, o cavalo só se tem valorizado com essa melhoria.

Em termos de desporto, claro que a Equitação de Trabalho «assenta que nem uma luva» ao Cavalo Puro Sangue Lusitano, que em face das características das provas estabelecidas, vê os seus talentos sublinhados, tendo Portugal alcançado muitos e merecidos sucessos nessa disciplina. Acresce igualmente que o crescimento mundial da disciplina e a manifesta melhoria na qualidade das prestações dos conjuntos, tem fomentado um cada vez maior interesse por parte das Comissões Organizadoras e possibilitado a realização de eventos internacionais em palcos de grande renome, como são exemplos o Global Champions Tour em Vienna, a PferdeInternacional em Munique e a Equitalyon em Lyon, o que contribui em muito para a visibilidade do nosso cavalo.

Claro que, tem sido o Ensino que, como refere Bruno Caseirão, tem verdadeiramente catapultado o Lusitano para um lugar de grande destaque no âmbito da alta competição internacional. E, no meu entender, embora deixe as questões da criação e genética para os peritos e stakeholders na matéria, a melhoria na funcionalidade não terá que forçosamente conduzir a que o cavalo venha a ser desvirtuado, como, aliás, se pode constatar em vários dos cavalos, que hoje pontuam muito em ambas as disciplinas."

QUER SABER MAIS SOBRE A CATEGORIA

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades