Actualidade. 26 MAR 2020

FEI cria grupos de trabalho para avaliar impacto do Covid-19

A Federação Equestre Internacional (FEI) vai criar grupos de trabalho especiais por cada disciplina para avaliar o impacto no seu calendário desportivo devido à pandemia de Covid-19.


Tempo de Leitura: 2 Min

FEI  Lukasz Kowalski

Foto: © FEI/Lukasz Kowalski

O novo coronavírus levou a que vários eventos desportivos, e não só, fossem cancelados, de modo a não propagar ainda mais o vírus entre a sociedade, assim como resultou também no adiamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio para o próximo ano. Desta forma, o Conselho da FEI aprovou a criação de equipas especiais de trabalho, para avaliar as consequências causadas no seu Calendário, pela pandemia. Cada grupo vai concentrar-se numa única disciplina.

Sabrina Ibáñez, secretária-geral da FEI, terá a seu cargo cada grupo, visto que tem uma responsabilidade geral sobre o Calendário da FEI. Os grupos individuais também vão contar com: os vice-presidentes da FEI, Mark Samuel e Jack Huang, o presidente da Federação Equestre Europeia, Theo Ploegmakers e o presidente da Associação Internacional de Organizadores Equestres, Peter Bollen.

Inclui-se ainda o Presidente do Comité Técnico, um representante dos atletas e o Director de Desportos da FEI de cada uma das disciplinas. Todos eles vão avaliar as consequências causadas pelo Covid-19, relativamente ao calendário da FEI, e encontrarem uma solução para cada uma delas.

Após o adiamento dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio 2020 para 2021, a FEI já recebeu garantias do Comité Olímpico Internacional (COI) de que trabalhará em conjunto com todas as federações internacionais, para encontrar as melhores soluções, relativamente, a todos os problemas que surgirem, incluindo as datas para reagendamento e o impacto que terá no calendário internacional de todos os desportos.

 

Autor:

Ana Rita Moura

anaritamoura@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE A CATEGORIA

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades