Dressage. 27 MAR 2019

Werth à procura do 5.º título

Portuguesa Maria Caetano entre a concorrência.


Tempo de Leitura: 2 Min

DSC_2308f-2h_1MB

Aproxima-se a grande final da Taça do Mundo (3 a 7 de Abril) e a alemã Isabell Werth tem um exército de concorrentes a tentar ficar com a sua coroa de campeã.

A Scandinavium Arena, em Gotemburgo, será o palco de todas as decisões, com 18 conjuntos de 12 países: Bielorrússia, Dinamarca, República Dominicana, França, Irlanda, Holanda, Portugal, Rússia, África do Sul, Suécia, EUA, Alemanha e Suécia.

Única a ter qualificado dois cavalos para a Final da FEI Dressage World Cup 2019 (Weihegold e Emilio), Isabell Werth é das atletas mais medalhadas da história equestre, provando sempre estar à altura dos desafios mais difíceis, ou não tivesse sido assim que já conquistou seis medalhas de ouro olímpicas e oito em Campeonatos do Mundo.

O 1.º troféu da Taça do Mundo de Dressage FEI ganho pela cavaleira alemã, foi precisamente em Gotemburgo, mas há 27 anos (1992)! Werth montava então Fabienne. Se vencer esta este ano, será a 5.ª vez na sua carreira e a 3.ª seguida.

A única cavaleira que no passado fez um hat-trick foi a holandesa Anky van Grunsven com Bonfire entre 1995 e 1997, ela que conta com nove vitórias ao longo de 13 anos, um record difícil de bater.

Os conjuntos apurados para a Final de Gotemburgo, por Ligas, podem ser consultados AQUI

Maria Caetano, por Portugal, que este ano apostou todas as fichas na presença neste concurso, cedo assegurou o bilhete de entrada, fruto de bons resultados nas etapas de Madrid (ESP), Olympia (GBR), Mechelen (BEL) e ’s-Hertogenbosch (HOL).

Com o PSL Coroado, a lusa alcançou mesmo em Mechelen o melhor resultado pessoal na Freestyle e, ao mesmo tempo, o melhor resultado de um cavalo lusitano montado por um português neste nível: 80.160%.

Aos 32 anos a cavaleira de Monforte será a segunda portuguesa numa Final da Taça do Mundo, depois de Daniel Pinto em Las Vegas 2007 com Galopin de La Font, conjunto que acabou por vencer o Grande Prémio Final B (com 71,650%).

 

Foto: Laura Graves (à esquerda), dos EUA, ficou em segundo lugar atrás da alemã Isabell Werth (à direita) na disputa pelo título da Taça do Mundo FEI em 2017 e 2018, mas a americana  espera "virar a mesa" na final de 2019 em Gotemburgo, já na próxima semana. (FEI / Martin Dokoupil)

 

Notícias relacionadas:

MALAS FEITAS PARA GOTEMBURGO

Autor:

Ana Filipe

anafilipe@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE A CATEGORIA

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades