Eventos. 06 DEZ 2018

Conclusões sobre os JEM de Tryon

Na Assembleia Geral da Federação Equestre Internacional um dos temas principais foi os Jogos Equestres Mundiais.


Tempo de Leitura: 7 Min

Alex Luque Moral

A Federação Equestre Portuguesa divulgou, no seu site, a informação enviada pela FEI relativa à Assembleia Geral.

 

"Os jogos equestres mundiais de Tryon 2018 da FEI e o futuro dos jogos foram os temas que levaram a uma grande participação na assembleia geral da FEI em Manama (BRN) que decorreu a 19 de Novembro de 2018.

A Equestrian Community Integrity Unit (ECIU), encarregada de investigar os problemas que ocorreram durante o campeonato de endurance nos jogos, apresentou as suas conclusões sobre a sequência de eventos que ocorreram aproximadamente 12 horas antes do início da competição, que levaram a uma falsa partida a 12 de Setembro.

Andrew Smith da ECIU detalhou as razões subjacentes que afectaram os preparativos para a competição de endurance, com as conclusões do relatório com base nas informações fornecidas durante entrevistas a várias pessoas, incluindo pessoas-chave da Comissão Organizadora, da FEI e outras testemunhas.

As conclusões do relatório mostram que não houve uma razão que tenha causado a falsa partida, mas várias razões: a falta de comunicação entre oficiais, membros da Comissão Organizadora, federações nacionais e atletas, atrasos na preparação da grelha veterinária e da pista de endurance bem como a decisão de manter o programa completo de eventos no Tryon International Equestrian Center o que forçou uma equipa já sem os recursos necessários a manter essas competições.

O ECIU também enviou um segundo relatório para a FEI relativo às alegações de má conduta. Esse relatório será analisado pela equipa jurídica da FEI para avaliar se serão accionados outros procedimentos disciplinares em tribunal. As decisões finais sobre estes procedimentos serão publicadas pela FEI.

A Secretária Geral da FEI, Sabrina Ibáñez, apresentou as conclusões gerais, reconhecendo que houve vários factores que contribuíram, não só para os problemas relacionados com a disciplina de endurance, mas também afectaram toda a organização geral dos Jogos. A estrutura da Administração da Comissão Organizadora, outros projectos de construção e recursos que tiveram prioridade sobre a entrega dos campos para as competições e de outras infra-estruturas relacionadas com os Jogos, e a comunicação de informações vitais em tempo útil foram os principais factores que contribuíram, disse ela.

No entanto, "para ser completamente honesta, nós, como comunidade, tivemos sorte que Tryon tivesse a coragem e a disponibilidade para aceitar este enorme desafio de organizar os Jogos, 22 meses antes do início do evento. Sem eles não teríamos os WEG 2018”.

Ela informou os delegados que a FEI investiu cerca de 1 milhão de Francos Suíços somente na pista de endurance, além do apoio financeiro fornecido pela FEI à Comissão Organizadora para assegurar que os jogos acontecessem. Em conformidade com uma boa supervisão financeira, a FEI tinha feito provisões financeiras especificamente para cobrir situações de emergência especificamente relacionadas com os Jogos.

A Senhora Ibáñez, realça o incrível nível de desporto nos 12 dias de jogos e o incansável trabalho de equipa de todos os envolvidos: "a Comissão Organizadora, os voluntários, oficiais e pessoal da FEI e federações nacionais que, apesar das frustrações, continuaram a trabalhar positivamente com a Comissão Organizadora e com a FEI para encontrarem soluções e fornecerem o melhor ambiente possível para os seus atletas, cavalos e staff das equipas.

Reconhece também que, apesar do compromisso da FEI em apoiar a Comissão Organizadora, em particular durante os últimos estágios dos preparativos do evento, a FEI não tinha nenhum mecanismo para pressionar a organização a cumprir as suas promessas além de ameaçar cancelar os Jogos, o que não era uma opção devido ao tempo e recursos que as federações nacionais e os atletas tinham investido na preparação para os jogos.

Antes de abrir a reunião para perguntas do plenário, a Secretária-geral falou sobre o plano de abrir o processo de licitação para o campeonato mundial individual em todas as disciplinas para 2022, mas a preferência dada aos jogos multidisciplinares ainda será considerada, como detalhado no Bureau wrap-up report publicado a 17 de Novembro.

A Secretária-geral realçou: "Isto não significa necessariamente o fim dos FEI World Equestrian Games e as candidaturas para organizar os Jogos com todas as disciplinas ainda serão consideradas".

O Director de Operações dos Jogos FEI, Tim Hadaway, abriu a sessão apresentando um relatório sobre o planeamento e a entrega dos Jogos Tryon 2018, destacando os aspectos positivos e negativos de quatro áreas principais: desporto, funcionamento dos Jogos, acções comerciais, de comunicação e media.

O desporto de topo (com excepção de Endurance) foi o principal sucesso dos jogos, juntamente com a excelente cobertura de transmissão na NBC, incluindo 57 horas de cobertura ao vivo que resultaram em audiências recorde para o desporto equestre. No entanto, a falta de preparação para o local e um compromisso de organização com recursos insuficientes, tanto do ponto de vista financeiro quanto pessoal, foram os grandes pontos negativos que acabaram impactando a entrega dos Jogos.

Perguntas e comentários durante a sessão de 90 minutos dos delegados da Federação Nacional de França, Chile, Espanha, Dinamarca, Bélgica, Alemanha, Uruguai, Itália e Bahrein foram focados no clima e na adequação de Tryon para os Jogos, reembolsos às Federações Nacionais que enviaram atletas e cavalos para os Jogos, falta de comunicação, Oficiais e falta de responsabilidade."

Foto: FEI/Martin Dokoupil

 

Notícias relacionadas:

- Jogos Equestres Mundiais não realizam em 2022

- Investigação ao sucedido no Mundial

QUER SABER MAIS SOBRE A CATEGORIA

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades