Dressage. 14 MAI 2020

Salvador Pessanha impulsiona Dressage em Viseu

O cavaleiro de Dressage Salvador Pessanha regressou às origens, em Viseu, e actualmente tem um projecto próprio, que consiste em treinar cavalos para competição e não só. Além disso, na Quinta de Ferronhe funciona também uma escola de equitação.


Tempo de Leitura: 7 min

Salvador Pessanha de 33 anos é natural de Viseu e não esconde a vontade que tinha em regressar às origens. Depois de 10 anos a trabalhar em diversos projectos, decidiu que estava na altura de apostar numa iniciativa sua.

O projecto consiste em receber cavalos de clientes e competir tendo por objectivo a valorização dos mesmos ou simplesmente “ensinar cavalos que sejam agradáveis a quem os venha a montar”, refere Salvador. Nas mesmas instalações, na Quinta de Ferronhe, em Vil de Souto, funciona também uma pequena escola de equitação para divulgação da disciplina de Dressage na região.  

“Senti que em Viseu tinha boas condições para desenvolver o meu projecto, até porque a maior parte das infra-estruturas já lá estavam. Cativa-me a ideia de trabalhar à minha medida e mais a norte do país, onde a Dressage não é tão comum. Tive a sorte de ter o apoio da minha mulher, que sempre me incentivou a dar este passo e que concordou desde logo em vir para cá. Este pormenor foi bastante importante, uma vez que no ano em que casámos, coincide o regresso a casa e às minhas origens. Foi definitivamente um ano de mudança.”, recorda o visieense.

A ligação com o mundo equestre começou bem cedo, visto que o cavaleiro nasceu numa quinta perto da cidade de Viriato, onde já havia cavalos e aos 10 anos começou a montar com um tio. “A partir daí nunca mais deixei de montar, começando a ser uma actividade quase diária (...) não me vejo num trabalho de escritório e nem gosto de pensar muito nisso, porque sou feliz com a minha escolha. Sinto-me bem com o que faço”, contou.

salvador pessanha (2)

Mais tarde, Salvador Pessanha rumou ao Alentejo, mais precisamente a Alter do Chão, onde tirou o Curso Técnico de Gestão Equina, na Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Alter do Chão (EPDRA). Recorda que foi durante os três anos do curso que se apercebeu da “complexidade do processo de treino do cavalo e este aspecto apaixonou-me e deu-me a certeza de que queria mesmo ser cavaleiro profissional. Foi também durante esses anos que, com a ajuda dos Professores e dos estágios que fiz, me decidi relativamente à disciplina equestre que viria a seguir.”

A Dressage acabou por ser então a escolha de Salvador, mas porquê? “Fascina-me por ser a disciplina que auxilia os cavalos a desenvolver o seu talento natural e a superar as dificuldades, através de vários exercícios, tornando-o um animal flexível, calmo, atento ao cavaleiro e, portanto, agradável de se montar. É uma disciplina que requer muita paciência, repetição, persistência, trabalho e dedicação mas é a disciplina na qual me revejo a trabalhar diariamente”, explicou o cavaleiro.

Após ter concluído o curso foi trabalhar para França, para dar os primeiros passos na sua carreira, integrando a equipa de Carlos Pinto. “Durante esse tempo, tive de me adaptar às práticas e formas de trabalhar bastante diferentes das que estava habituado. Lembro-me perfeitamente de todos aqueles cavalos e de como o seu nível de ensino, me fascinava e me fazia sonhar.”

Após a aventura em território gaulês, Salvador regressou novamente a Portugal e foi aqui que deu um “salto” na sua carreira profissional, quando começou a trabalhar para o cavaleiro olímpico Miguel Ralão Duarte.

“Sabia que o Miguel Ralão procurava um elemento para a sua equipa e, naturalmente fiquei interessado na proposta. Estava criado um conjunto de condições para que pudesse evoluir. A começar pela paciência, sabedoria e disponibilidade que o Miguel tinha para me ensinar. Facto que também não posso esquecer foi a possibilidade de poder competir com bons cavalos, começando assim a fazer provas com os cavalos de ferro da Coudelaria do Dr. Ferraz da Costa”, relembra.

O percurso de Salvador passou ainda pela Coudelaria Bessa de Carvalho, no início de 2011, onde acabou por ser responsável pelo ensino de vários cavalos, que hoje são referência no meio equestre, como por exemplo o Xenofonte D’Atela, que o cavaleiro recorda como um animal “bastante receptivo a tudo o que lhe ensinava, demonstrando uma capacidade de adaptação muito boa, tornando-se satisfatório o seu processo de ensino principalmente para um jovem cavaleiro.”

Destaca ainda mais dois cavalos enquanto trabalhou na Coudelaria de Francisco Bessa de Carvalho, Assírio d’Atela e Destino dos Pardinhos. O primeiro “foi um cavalo que ensinei até ao nível São Jorge, e que posteriormente, foi vendido para a Argentina. O Assírio foi um cavalo bastante tardio no seu desenvolvimento, mas que se entregou por completo. Era apaixonante montá-lo.” Já o segundo, “era um cavalo da criação de António Correia de Mendonça. Foi um cavalo que apresentei à mão com três anos, desbastei e com o qual competi até ao nível Complementar. Foi muito interessante constatar a facilidade que teve em todo o seu processo de ensino, o que se tornou gratificante.”

salvador pessanha (1)

Hoje em dia como qualquer cavaleiro, Salvador Pessanha sonha em chegar o mais longe possível como competir em campeonatos do mundo, jogos olímpicos, entre outros, “mas mais do que todas estas metas de topo, aquilo que ambiciono na verdade, é que os meus clientes, parceiros de negócio e alunos confiem e me revejam como uma referência de seriedade, e honestidade no trabalho que faço. Manter a humildade é um ponto que considero essencial. Conto para isso, com a ajuda do Daniel Pinto, como meu treinador.”

Acrescenta ainda que “nada disto fará sentido se não tiver uma vida familiar preenchida. Quero fazer profissionalmente aquilo que mais gosto, no sítio que adoro e contar com o apoio de quem mais estimo. Estes são três pontos essenciais para mim. Sinto-me, por isso, um privilegiado quer pelo meu trabalho quer pela minha família”, concluiu.

Autor:

Ana Rita Moura

anaritamoura@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO?

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades