Feiras. 23 DEZ 2019

Luar da Caniceira iluminou a Golegã

Nem a chuva que se abateu na Capital do Cavalo durante a decisão mais importante do Concurso de Modelo e Andamentos impediu Luar da Caniceira de brilhar, sagrando-se Campeão da Raça Lusitana da Feira Nacional do Cavalo.


Tempo de Leitura: 7 min

Uma névoa causada pela chuva, em conjunto com o fumo das castanhas, adensou o ambiente na entrega de prémios de mais um Concurso de Modelo e Andamentos. O muito público que estava reunido à volta do Largo do Arneiro, munido de chapéus de chuva, esperava ansiosamente pelo decisão fi nal, até Luar da Caniceira foi montado por Gilberto Filipe que o speaker da Feira Nacional do Cavalo, André Ponces de Carvalho, anunciou: “com três votos contra um, o Campeão da Raça Lusitana 2019 é Luar da Caniceira”.

O cavalo de 4 anos, filho de Escorial com Vinheta, por Nuxeque, criação e propriedade da Herdade da Caniceira, teve como concorrência Moêt das Lezírias (Escorial x Hasa das Lezírias por Safado), de 3 anos, ferro e propriedade da Companhia das Lezírias e Husseim V.O. (Almansor da Brôa x Raiz 2 Fil Vent por Dragão), de 8 anos, ferro e propriedade de José Victor Oliva Junior.

À EQUITAÇÃO, Hermano Martins descreveu Luar da Caniceira como “um animal polivalente, com uma cabeça e funcionalidade fantásticas”. O criador referiu ainda que o Lusitano de 4 anos “está no Projecto Cavalos Novos no Ensino, da Associação Portuguesa de Criadores do Cavalo Puro Sangue Lusitano e também já ganhou alguns prémios ao nível do Toureio”. O Campeão da Raça Lusitana foi montado por Gilberto Filipe, com Hermano Martins a afirmar que esta tem sido “uma parceria muito boa e que já tem dado frutos”. Quanto à conquista deste troféu, Hermano Martins encara-a como “um culminar de situações, de sentimentos e de tradições”.

Luar da Caniceira_1

A Herdade da Caniceira tem, actualmente, 22 éguas de ventre, existindo “uma parte vocacionada para o lazer e para o toureio, e outra direccionada para o desporto”, explica o criador. O objectivo principal “é promover a nossa Raça Lusitana ao mais alto nível, em qualquer quadrante e em qualquer parte do mundo”, remata.

O Concurso Nacional Oficial de Apresentação do Cavalo de Sela contou com 31 inscritos de Raça Lusitana, tendo sido distribuídas dez medalhas.

Modelo e andamentos_1

Nos de 3 anos, à excepção de Môet das Lezírias (Companhia das Lezírias), vencedor da classe com ouro, os restantes foram medalhados com prata: Marialva da Brôa (Manuel Tavares Veiga) em 2.º (prata); e Manolete (José Francisco Figueira Lampreia) em 3.º (prata).

Nos Lusitanos de 4 anos, para além do Campeão Luar da Caniceira, recebeu medalha de ouro Libré da Brôa (Manuel Tavares Veiga), que ficou em 2.º. Em 3.º, com prata, fi cou Levante da Brôa (criação de Manuel Tavares Veiga e propriedade de Rui Fortunato da Silva).

Na classe dos Lusitanos de 5 anos ou mais foram entregues três medalhas de ouro: a Husseim V.O. em 1.º; Embaixador da Brôa (Manuel Tavares Veiga) em 2.º e Gitano (criação de Arsénio Raposo Cordeiro e propriedade de Tiago Galrão), em 3.º. Foi ainda medalhado com prata, em 4.º, Herdeiro (Manuel d’Assunção Coimbra).

Modelo e andamentos_2

Nas Raças Selectas apresentaram-se apenas três animais Cruzado Português, aos quais foram atribuídas medalhas de prata: Marialva-do-Zé (3 anos) e Luxor-do-Zé (4 anos), ambos ferro e propriedade de José António Alves Inácio; e Fiapo (5 anos ou mais), criação da Sociedade Agrícola Fonte do Pinheiro e propriedade de José Carlos Gomes Feitor. Como não houve medalhas de ouro, não houve Campeão de Raças.

Modelo e andamentos_4

Homenagens

No final da cerimónia de prémios decorreu a homenagem ao Presidente de Honra do LX Concurso Nacional de Apresentação do Cavalo de Sela FNC e XXI Concurso Nacional de Apresentação do Cavalo de Sela da Feira Internacional do Cavalo Lusitano, Manuel Cidade Moura, que foi presidente da Sociedade Hípica Portuguesa e da Federação Equestre Portuguesa, entre outros cargos.

À EQUITAÇÃO, Manuel Cidade Moura confessou-se “sensibilizado pela homenagem. Representa um reconhecimento do esforço de muitas pessoas, que apostaram comigo neste percurso que foi iniciado já lá vão quase dez anos”.

Modelo e andamentos_3

O Largo do Arneiro serviu depois de palco a um agradecimento, feito pela Associação do Cavalo de Raça Luso-Árabe (ACRLA), aos criadores e cavalos que mais se destacaram em 2019. A ACRLA distinguiu ainda Jackpot, da criação Herdeiros José Henriques da Silva e propriedade do cavaleiro Filipe Gonçalves, como Melhor Cavalo Luso-Árabe 2019 e Hquiebro, ferro Coudelaria Inácio Ramos e propriedade do cavaleiro Rui Fernandes, como Melhor Cavalo Funcionalidade 2019.

Fotos: Aurélio Grilo

 

Artigo publicado in Revista Equitação n.º 140 , Novembro/Dezembro de 2019

Autor:

Carla Laureano

carlalaureano@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO?

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades