Dicas. 15 NOV 2019

O Ladear

Na edição anterior abordámos a espádua a dentro, pelo que numa sequência lógica de execução de exercícios e da prova, cabe agora analisar o ladear.


Tempo de Leitura: 5 min

Como já referido, esta análise é feita à luz do Regulamento da Federação Equestre Internacional (FEI), tendo por objectivo ajudar os praticantes de Dressage a “conservar” pontos que estão relacionados com a execução do exercício e não tanto com a qualidade do cavalo.

A Definição

O ladear pode ser executado a trote concentrado (em passage na prova Grande Prémio Freestyle) ou a galope concentrado. O cavalo desloca-se numa linha diagonal, quase paralelo à parede grande (as espáduas/antemão devem estar sempre ligeiramente à frente da garupa/pós-mão), encurvado à volta da perna de dentro do cavaleiro, num ângulo de aproximadamente 35°, olhando na direcção para onde se desloca.

Durante o exercício o cavalo deve manter a impulsão, a cadência e o equilíbrio. No trote a mão e perna de fora cruzam à frente da mão e perna de dentro. No galope o ladear é executado numa sequência de passadas para o lado e para a frente (lado/frente/lado/frente).

O objectivo

Demonstrar um trote concentrado, equilibrado e fluído executado numa linha diagonal, encurvado na direcção para onde se desloca, com um ângulo ligeiramente superior ao da espádua a dentro. As pernas e mãos do cavalo cruzam durante o exercício, sem que isso perturbe o equilíbrio e a cedência. A simetria das encurvações é também um factor importante na avaliação deste exercício.

Questões a ter em atenção:

A Regularidade/impulsão

É importante que durante o ladear o cavalo mantenha o mesmo ritmo e impulsão. Por vezes verificámos que na aproximação ao exercício o cavalo apresenta um bom ritmo (impulsionado, elástico, cadenciado) mas assim que inicia o ladear este é alterado (precipita ou perde impulsão) ou então não o mantém até ao final do exercício (momento em que os juízes dão a nota!). Outras vezes acontece que os cavaleiros, em busca de maior “expressão”, executam o ladear quase em trote médio!

Dica: Procure que o cavalo mantenha o mesmo ritmo, impulsão e cadência. Encoraje-o a avançar de forma enérgica, mas fluida e equilibrada e não se esqueça que o objectivo do exercício é ganhar elasticidade e cadência.

Ângulo/encurvação

A encurvação deve ser preparada no canto ou círculo que geralmente antecedem o ladear e o ângulo deve estar bem definido na letra onde o exercício se inicia. Se o cavaleiro “entrar” bem no canto, flexionando e encurvando proporcionalmente o seu cavalo, a questão da encurvação estará imediatamente resolvida.

Às vezes acontece que: (i) os cantos são negligenciados, (ii) pouca encurvação e paralelismo no início do exercício, (iii) não manutenção da encurvação e paralelismo até ao final, (iv) acentuado movimento lateral em detrimento da encurvação, elasticidade e cadência, (v) perda de equilíbrio com consequências a nível do ritmo e contacto (a nuca deixa de ser o ponto mais alto).

 Dicas do Juiz - opção 2

Posição do cavaleiro

Naturalmente que a posição do cavaleiro e o emprego das ajudas tem uma influência determinante em todos os exercícios, contudo, existem alguns exercícios onde o erro na postura é mais frequente, sendo o ladear um deles. Efectivamente, vemos com frequência no ladear à direita o cavaleiro sentar-se/inclinar-se para a esquerda e vice-versa. Esta situação, além de prejudicar o equilíbrio do cavalo, implica a perda (desnecessária) de pontos na nota final atribuída ao cavaleiro.

Dica: Utilize bem o canto, o círculo ou a volta que geralmente antecede o ladear para preparar a encurvação. Defina a encurvação e posição do seu cavalo logo na letra onde o exercício se inicia e mantenha-o inalterado até à letra onde o exercício termina.

Antecipe o seu olhar para a letra de destino e defina a trajectória (chegar antes ou depois da letra implica perder pontos “desnecessariamente”). Nas provas com zig-zags os ladeares devem ser simétricos e a flexão do cavalo deve ser alterada de forma fluida momento em que o cavalo muda de direcção (e não algumas passadas antes). Assegure-se que a encurvação que confere ao seu cavalo no ladear para a esquerda é igual no ladear para direita e vice-versa.

Dica: Tome consciência do posicionamento dos seus ombros e mantenha-os nivelados. Alternar de forma suave e discreta a sua visão entre o ponto de destino e o topo da pista (ex: olhando para o juiz que estiver mais à sua frente), pode ajudar a manter uma posição centrada e equilibrada durante o ladear.

 

Veja também:

A Espádua a Dentro

O Trote Médio/Largo 

Como entrar em pista e causar boa impressão

Autor:

Frederico Pinteus

equitacao@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO?

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades