Saltos. 06 JUN 2019

99.º CSIO de Lisboa: inesquecível!

Confira os principais destaques do concurso que animou a capital entre 30 de Maio e 2 de Junho.


Tempo de Leitura: 7 min

A Sociedade Hípica Portuguesa (SHP), em Lisboa, recebeu mais um emblemático e memorável CSIO. Como vem sendo hábito, um dos pontos altos foi a Taça das Nações, competição FEI, que fez encher as bancadas na tarde/noite de sexta-feira.

Uma adrenalina electrizante foi o que se sentiu a cada vez que cada um dos quatro cavaleiros lusos entrava em pista, com o silêncio da prova a dar lugar a explosões de alegria e gritos ensurdecedores, à medida que cada um deles cruzava os visores.

WhatsApp Image 2019-06-05 at 07.38.38 (2)

Rodrigo Giesteira Almeida/GC Chopin'S Bushi, Duarte Seabra/Fernhill Curra Quinn, Luís Sabino Gonçalves/Unesco Du Rouet e António Matos Almeida/Volver De La Vigne foram os heróis da noite, com Portugal a assegurar o 1.º lugar do pódio, sem faltas. O colectivo tem como treinador Antonis Petris e foi acompanhado por João Moura, como chefe-de-equipa.

No total, apresentaram-se a esta prova 11 nações, com o 2.º lugar ocupado pela Espanha (4 pts) e a Irlanda em 3.º (8 pts).

Recorde-se que Portugal não ganhava a Taça das Nações em Lisboa desde 1994, na altura em equipa composta por Manuel Lima Garcia, Miguel Faria Leal, Alexandre Mascarenhas de Lemos e António Vozone, chefiados por Francisco Lobo Guedes. A formação vencedora este ano, é a mesma que, em 2018, ganhou a medalha de ouro nos Jogos do Mediterrâneo.

A prova de equipas de Lisboa integra o calendário da divisão 2 da Taça das Nações Longines FEI. Nessa competição, Portugal terá o próximo desafio a 28 de Julho com mais uma etapa a decorrer durante o Festival Equestre de Atenas (Grécia), onde está em jogo um lugar na Final da Taça das Nações Longines FEI, que decorrerá em Barcelona (Espanha).

1905.31.2243

Giesteira imbatível

No total dos quatro dias de competição internacional em Lisboa, por três vezes ouviu-se o Hino Nacional, e Rodrigo Giesteira Almeida esteve presente em todos os momentos.

O cavaleiro, radicado na Holanda, veio propositadamente a Portugal para este concurso e trouxe consigo três montadas.

Logo no primeiro dia, entrou a ganhar na classe de 1.50m com Kafka Vd Heffinck. Numa prova disputada no formato de tabela A ao cronómetro, o conjunto luso foi o único a realizá-la em menos de um minuto (59.20seg), sem penalizações. No total, entraram 60 binómios.

Depois do sucesso na Taça das Nações, Rodrigo fechou o evento com chave de ouro ao vencer o Grande Prémio SHP, às rédeas de GC Chopin'S Bushi, depois de limpar no melhor tempo as duas mãos do percurso desenhado pelo chefe de pista Bernardo Costa Cabral.

WhatsApp Image 2019-06-05 at 07.38.38

A EQUITAÇÃO conversou com o vencedor, que não escondeu que, quando entrou para a segunda volta, acreditava ser possível a vitória. "Entrei já com a sensação de que se estivesse bem concentrado e as coisas corressem como eu esperava, tinha uma boa chance de poder agarrar o Grande Prémio, pois o cavalo está numa forma extraordinária. O último Grande Prémio que tinha feito também o ganhou, no CSI3* de Touquet (França). Vindo desse resultado,  foi mais fácil pôr as expectativas bem altas para um bom resultado em Lisboa."

Ainda assim, os nervos "apertaram" e a alguns, fora de pista, poderá não ter escapado o facto de Rodrigo ter repetido algumas voltas durante o reconhecimento de percurso para a segunda volta.

"Quando fui reconhecer a pista, vi e revi, vi e revi, vi e revi, para estar 100% seguro! Repeti duas ou três linhas onde não queria mesmo dar hipótese de erro e cumprir com aquilo que tinha medido e planeado", recorda.

Precauções que deram frutos e que tornaram o CSIO de Lisboa um "concurso inesquecível, com sabor Português, que vai marcar a minha carreira desportiva".

WhatsApp Image 2019-06-05 at 07.38.38 (1)

Sobre a Taça das Nações, Rodrigo não quis deixar de salientar "o excelente espírito de equipa" que se vive na formação lusa "Nesse dia, quando estava a montar o cavalo, via o Luís, o Duarte e o Tó Zé [António Matos Almeida] e o que me passava pela cabeça era «vamos fazer igual a Barcelona [Jogos do Mediterrâneo]. Porque nós conseguimos!» Acho que «puxamos» todos para o mesmo lado e queremos todos ajudar-nos mutuamente."

Rodrigo Giesteira Almeida está radicado na Holanda e trouxe ao CSIO de Lisboa três montadas. Aos já mencionados, Kafka Vd Heffinck e GC Chopin'S Bushi, juntou-se Roscoe, de 9 anos, "sem pressão nenhuma de resultados". Ainda "com pouca experiência", fez em Portugal o segundo concurso internacional da sua carreira.

"Tenho neste momento uma quadra de cavalos como nunca, o que me permite traçar grandes objectivos em cada prova que participo" acrescentou, não esquecendo que "nada disto seria possível sem o enorme apoio do Stal Joppen, Stal Van de Heffinck e Iron Horse Farm". 

Interrogado sobre se fazer a dobradinha nas provas mais importantes do CSIO foi um sonho tornado realidade, o Campeão Nacional não hesitou em assentir. "Se no dia em que cheguei a Lisboa me tivessem tido que isto ia acontecer, não acreditava! Sabia que os meus cavalos tinham qualidade para isso, que estávamos num momento alto de forma, mas como é óbvio, a jogar em casa, com a pressão toda do público... Foi mesmo o concurso da minha vida!"

Rodrigo_Giesteira_Almeida_2 

Embora motivos não faltassem para comemorar, não houve muito tempo para tal, tendo Rodrigo Giesteira Almeida regressado de imediato à Holanda, onde irá competir durante este fim-de-semana "com outros cavalos que tenho em casa e que têm de manter a forma." A 9 de Junho o cavaleiro deverá regressar a Portugal, onde ficará por uns dias para os internacionais do Vimeiro, seguindo-se depois a etapa do Estoril do Global Champions Tour. Da agenda do atleta fazem também parte outro concurso na Holanda e o CSI5* de Falsterbo (Suécia), antes da prova de equipas, em Atenas, onde voltará a vestira a casaca vermelha da selecção. "Só após essa Taça das Nações terei duas semanas para deixar os cavalos «respirar» pois logo de seguida é o Campeonato da Europa de Roterdão!" adianta.

O CSIO de Lisboa contou ainda com provas nacionais, uma competição/demonstração de CCE na noite de sábado e, antes do Grande Prémio, uma sentida homenagem aos sócios, recentemente falecidos, Filipe Figueiredo (de Graciosa) e Pedro Queiroz Pereira.

Este evento é o CSIO mais antigo realizado no mesmo local e em 2020 comemora a 100.ª edição.

Confira a galeria fotográfica (crédito: Nuno Pragana/Imagemedia), com os vencedores de outras provas do concurso, cujos resultados completos podem ser consultados AQUI

 

Autor:

Ana Filipe

anafilipe@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO?

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades