Inseminação. 20 MAI 2019

SÉMEN EQUINO: A IMPORTÂNCIA DE CONGELAR

A congelação de sémen equino em Portugal é uma actividade relativamente recente. Na Luso Pecus, já o praticamos de forma ofi cial e autorizada há cerca de 11 anos.


Tempo de Leitura: 6 min

Atendendo à crescente utilização destas técnicas, quer por veterinários, quer por criadores, a recolha e o processamento do sémen estão cada vez mais vulgarizados. Está na altura de olharmos um pouco mais para as exportações - cada vez em maior número - e para os seus procedimentos e exigências.

Quando se entrega um cavalo para congelar sémen o seu proprietário tem que ter em conta em que geografi as o sémen será no futuro comercializado ou utilizado.

três grandes blocos:

1Utilização exclusiva no território português.

2Utilização dentro dos países que compõem a União Europeia (UE).

3Utilização “world wide”, isto é, em países compradores fora do espaço da União Europeia.

A importância para o processo destas três grandes blocos geográficos prende-se com o pacote de análises que são necessárias fazer ao garanhão antes de se começar a colher e a congelar o seu sémen, atendendo a que as exigências destes espaços são diferentes.

Este é o primeiro grande ponto que o proprietário tem que indicar e responsabilizar-se por essa indicação. Um exemplo, se a indicação for UE o sémen depois de congelado nunca poderia ter como destino o Brasil ou qualquer outro estado fora da UE.

Um segundo ponto a definir é o número de doses a congelar, partindo do princípio que uma dose (oito palhinhas) é para inseminar um égua. Depois do sémen estar congelado e devidamente identificado no contentor fica a aguardar indicações do seu proprietário dos destinos para onde deve ser encaminhado, fruto dos negócios e emparelharemos então feitos com o proprietário da égua.

Na Luso Pecus costumamos facilitar este tipo de trânsito, pois envolve determinadas especificidades dificilmente ao alcance dos senhores proprietários.

LUSOPECUS01

LUSOPECUS02

LUSOPECUS03

A preparação do sémen, do contentor e a obtenção dos papéis sanitários junto dos serviços do Ministério tem os seus tempos (entre 1 e 2 dias), tempos esses que é importante respeitar pois fazem também parte do sucesso que iniciámos meses ou anos antes, com a colheita e a congelação.

O sémen congela-se não para ficar guardado nos contentores mas para, a seu tempo, ser usado, de preferência com sucesso, nas éguas. 

Aos leitores e proprietários convido-os a, se ainda não o fazem, interessarem-se por estes métodos e tecnologias, pois é um futuro diferente que se abre ao futuro e à genética das coudelarias, sejam elas grandes ou pequenas.

Texto: José Carlos Duarte, médico veterinário desde 1977, sempre trabalhou na área da reprodução equina. Fundador e gerente da clínica Luso Pecus

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO?

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades