Feiras. 20 DEZ 2018

Jasmim (inquestionável) Plus

Cinco meses depois do título de Campeão Macho, conquistado no Festival Internacional do Cavalo Lusitano, Jasmim Plus voltou a colocar a faixa da vitória, desta vez, de Campeão da Raça Lusitana, durante a Feira da Golegã.


Tempo de Leitura: 10 min

Foi na véspera de S. Martinho (sob o manto do mesmo) que, entre aguaceiros, decorreu a consagração deste jovem e promissor cavalo de 4 anos: Jasmim Plus. Filho de Escorial com Estrela Plus, por Peralta, criação da Dressage Plus e propriedade do colombiano D. Gustavo Pico, dias antes, o lusitano já tinha conquistado os juízes ao ser o único da sua classe com medalha de ouro. Na tarde de todas as decisões, teve como concorrente ao título máximo, Liberal da Lagoalva (Violino x Êxito da Lagoalva por Hostil), de 3 anos, criação e propriedade da Soc. Agrícola Quinta da Lagoalva de Cima. Após nova avaliação por parte dos juízes, a decisão foi unânime na atribuição do título maior, para gáudio de criador e proprietário que se encontravam entre o público. À EQUITAÇÃO, Vasco Freire descreveu Jasmim Plus como “um poldro em formação” mas que “apresenta as condições básicas necessárias para vir a ser no futuro um bom cavalo de desporto. Grande, com 1,72 cm, tem três bons andamentos e uma montabilidade acima da média, já confirmada.”

Sobre a evolução visível decorrida nos últimos meses, “quando foi apresentado em Junho no Festival de Cascais e ganhou o título de Campeão Macho, Jasmim Plus estava numa fase ainda de final de desbaste. Entretanto passaram cinco meses e apresentou-se na Feira da Golegã mais sólido, mais conectado e por isso causou uma impressão de cavalo adulto. Já começa a estar ensinado”. O trabalho de ensino deste animal tem estado a cargo do cavaleiro Nuno Chaves de Almeida, desde que Jasmim Plus veio do campo. Na Golegã foi ele que o apresentou e juntos integram já o Projecto de Ensino da APSL. “O Nuno, além de ser um rapaz extraordinário, é um cavaleiro talentoso que tira partido dos cavalos de uma maneira simples e eficaz, que até parece fácil! O Jasmim está completamente adaptado ao Nuno e o Nuno ao Jasmim. Estamos convictos de que vão no futuro formar um bom conjunto no desporto” afiança o criador.

Aos 4 anos, Jasmim Plus encontra-se já aprovado no Livro de Reprodutores da Raça Lusitana e os primeiros filhos vão nascer no início de 2019. “Temos muita ilusão e expectativa para ver os resultados, esperamos que possa transmitir aos filhos esta estampa de cavalo lusitano moderno com beleza e tipicidade que ele apresenta”, deseja Vasco Freire.

Liberal da Lagoalva e Gitano

O Concurso Nacional Oficial de Apresentação do Cavalo de Sela contou com 37 inscritos de Raça Lusitana. Dos 12 classificados, apenas aos já referidos foi atribuída a medalha de ouro, com seis animais a receberem a prata.

Nos de 3 anos, os resultados ficaram ordenados com: Liberal da Lagoalva (Soc. Agr. Qta. da Lagoalva de Cima) em 1.º (ouro); Libré da Brôa (Manuel Tavares Veiga) em 2.º (prata); Lavrador (Pedro Ferraz da Costa) em 3.º (prata); e Leste d’Atela (Lusitanos d’Atela) em 4.º (prata).

Nos Lusitanos de 4 anos, montados: à excepção do vencedor Jasmim Plus, os restantes foram medalha de prata com Jalisco (criação de Pol Gombeer Solvay e propriedade de Jorge D’Almeida) em 2.º; Joio (criação de José Barahona Núncio Herd. e propriedade de Augusto Norberto) em 3.º; e Julho (António Paim) em 4.º.

Por fim, na classe de cavalos PSL de 5 ou mais anos, não foram atribuídas medalhas. Ganhou Gitano (criação Arq. Arsénio Raposo Cordeiro, propriedade Coudelaria Leonel Duarte), Infante (Coud. Leonardo Franco, propriedade de Frauke Matter) foi 2.º, Impulsivo da Brôa (Manuel Tavares Veiga) ficou em 3.º; e Imperador (Coud. Qta. dos Cedros) em 4.º.

L-Chantender da Hermida

Português de Desporto domina

Com apenas uma medalha de ouro entregue nas Raças Selectas não houve dúvidas quanto ao Campeão de Raças. O título foi entregue a L-Chantender da Hermida (Chatender x Julie Lyone por Le Tot de Sehilly), da Coudelaria Quinta da Hermida, um Português de Desporto de 3 anos, que, na opinião do criador e proprietário, Pedro Câmara Horta Osório “reúne as características que procuramos na nossa criação. É um cavalo com uma boa morfologia, que aparenta uma seriedade e capacidade de concentração acima da média para um cavalo de 3 anos inteiro. O L- Chantender, pese embora a sua ‘tenra’ idade, nascido em Julho de 2015, já está montado, o que nos permite afirmar que tem um equilíbrio natural acima da média, força, capacidade de trabalho, três andamentos fantásticos, transmite muito boas sensações de montabilidade, sem aparentes dificuldades... proveniente de uma linha genética Liberal da Lagoalva, vencedor (ouro) na classe de Lusitanos de 3 anos Gitano, 1.º classificado em Lusitanos de 5 anos ou mais L-Chantender de Obstáculos, com muitas provas dadas, que pretendemos continuar a apostar”.

Sobre o futuro deste jovem, o criador adianta que “sem prejuízo de poder ser um bom cavalo de Ensino, penso que será um bom cavalo de Obstáculos. Vamos investir nisso à semelhança do que fizemos com outros animais do nosso ferro que já andam em pista a saltar. Há 2 anos, ganhámos exactamente o mesmo prémio na Expoégua, com a nossa égua Jasmim da Hermida” recordou. A Coudelaria tem duas vertentes, “cruzados a pensar nos Obstáculos, pois tenho uma filha cavaleira que além de outros cavalos que adquirimos, tem montado e saltado com cavalos da casa o que é uma enorme satisfação, e lusitanos, a nossa grande paixão, onde em relativamente poucos anos, com um critério bem definido quanto aos objectivos, apostando na qualidade e não na quantidade, estamos muito satisfeitos com o patamar que já atingimos, muito focados na reprodução e criação de lusitanos com aptidões de desporto. Estes resultados são fruto de muito trabalho, de uma equipa muito motivada e da orientação e experiência do seu director, Eng. João Cabaço.

Esta foi uma feira marcante para Pedro Horta Osório, que além de ver L-Chantender da Hermida eleito Campeão de Raças, teve o gosto de voltar a montar na manga, algo que não fazia há alguns anos. “Monto a cavalo desde miúdo e tive sempre a equitação como o hobby preferido. Ainda novo montei no Mestre Nuno Oliveira e fiquei muito amigo do seu filho João. Grandes amizades que granjeei no meio equestre, donde destaco o Nuno Palma, o Miguel Ralão, a Bi Valença e o João Cabaço, aproximaram-me ainda mais dos cavalos. Sem ser nada dotado, montava regularmente até que, por questões de saúde, interrompi a prática desta actividade. Convenci-me que nunca mais conseguia voltar a montar um cavalo. Ao fim de quatro anos e com o apoio e força de um grande amigo, que me ajudou e incentivou, foi uma felicidade enorme ter conseguido voltar à Golegã a cavalo, nomeadamente ter-me juntado no arneiro aos muitos cavaleiros que quiseram prestar homenagem ao Mestre Luís Valença, por quem tenho enorme admiração e amizade. Foi tudo uma sensação indescritível. Há que continuar, na senda desta paixão, na criação cavalar e na óptima fisioterapia para a cabeça e físico que é andar a cavalo”, relatou à EQUITAÇÃO.

Luxor-do-Zé, Joli do Zé, Joselito

Na categoria de cavalos Português de Desporto, ficou em 2.º lugar, com medalha de prata, Lorus, de Pedro Ferraz da Costa.

Já em Cruzado Português, em 3 anos, ganhou Luxor-do-Zé (José ALves Inácio), seguido de Lisbon-F (Victor Frias), ambos com prata. A mesma medalha foi entregue a Joli do Zé (criação José Alves Inácio, propriedade Pedro Azeitona), Cruzado Português de 4 anos.

Em 2018, foram inscritos no Concurso Nacional Oficial de Apresentação do Cavalo de Sela, 42 animais, de três raças.

Goya

 

Agradecimento aos criadoresJosé Veiga Maltez

A entrega de prémios do Concurso de Modelo e Andamentos foi testemunhada por várias personalidades, entre elas o criador francês Sylvain Massa, Presidente de Honra do Concurso deste ano e homenageado após o mesmo. “Somos gratos a quem é embaixador de Portugal e do Cavalo Lusitano”, afirmou aos microfones da feira José Veiga Maltez.

O programa prosseguiu com um agradecimento aos criadores que integram a Associação do Cavalo de Raça Luso-Árabe. Neste âmbito foram homenageados dois cavalos Luso-Árabes: Joselito, do criador Sociedade das Silveiras, foi eleito o melhor cavalo reprodutor e Goya, de João Moura JR. do criador Saúl D’Almeida, foi considerado o melhor cavalo Luso-Árabe de 2018.

Fotos: Aurélio Grilo e Emílio de Jesus

 

Artigo publicado in Revista Equitação n.º 134, Novembro/Dezembro de 2018

Autor:

Ana Filipe

anafilipe@invesporte.pt

QUER SABER MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO?

Insira o seu e-mail e receba todas as novidades